sábado, 14 de abril de 2012

Nas minhas entranhas

Perpetuei teu toque, teu cheiro,
teu gosto excessivo e másculo
nas minhas entranhas...
Me agito, me permito à esse rebuliço...
Teu corpo todo é desejo, é manhã
que me assanha e arranha sem sangrar.
Ai que delicia, toda essa malícia,
esse jogo escondido no olhar
esse fogo incontido a nos queimar!
Corpos apimentados de desejo e paixão
lançam-se ao prazer, insandecidos de tesão..
Se mordem, se lambem, se contorcem em gozo
Beijos esfomeados, línguas serpenteando,
explorando, céus, infernos, curvas e fendas
paraísos inexplorados, desertos de amor...
Amam-se sem tempo, perdidos nas horas
que passam sem serem notadas.
Dois seres, dois corpos de almas levitadas.

Denise Flor©